quinta-feira, 17 de abril de 2014

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 17

Banda: Promethee
País:  Suíça
Descrição: Pra quem acha que a Suíça só produz bons chocolates e canivetes, eles também possuem ótimas bandas como é o caso do Promethee. Um som moderno, com afinação baixa e aquela aura do Post-Harcore latente poderá surpreendê-lo!


quarta-feira, 16 de abril de 2014

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 16

Banda: Terra Tenebrosa
País: Suécia
Descrição: Cuidado. Ao ouvir Terra Tenebrosa pela primeira vez, uma sensação de desconforto e estranheza tomará conta do ar, e se o ambiente for escuro, a lugubridade doentia de “The Purging” tornará sua vida um tanto quanto miserável. Definir a sonoridade do Terra Tenebrosa em apenas um estilo é uma tarefa impossível, portanto cabe ao leitor a tarefa árdua de tentar decifrar o que esta misteriosa banda se propôs a fazer. De qualquer forma, a experiência é única e, com o perdão do trocadilho, tenebrosa.


Contatos: https://www.facebook.com/terratenebrosaofficial

terça-feira, 15 de abril de 2014

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 15

Banda: We All Die (Laughing)
País:  Bélgica
Descrição: Duas mentes perturbadas se unem para criar um metal obscuro, diversificado e instigante. A dupla Déhà (Maladie, Yhdarl, COAG) e Arno Strobl (Carnival In Coal, Maladaptive, Tridus Elasticus, KrOaK, Blowdead) convida o ouvinte para uma viagem sonora que transita pelos mais diversos estilos dentro do Heavy Metal.





segunda-feira, 14 de abril de 2014

Review: Nowrong - Prognostic Of A Great Disaster


Por Pedro Humangous


O cenário brasileiro está nos enchendo de orgulho! O número de bandas não para de crescer e a maioria delas está apresentando trabalhos de extrema qualidade, tanto em termos de composição quanto de gravação. Eu já tinha ouvido falar dos paulistas do Nowrong, mas confesso que ainda não tinha parado para escutar o som da banda. A Shinigami Records então facilita nossas vidas colocando seu debut nas prateleiras das lojas, nos dando a possibilidade de conferir mais um excelente lançamento: “Prognostic Of A Great Disaster”. A arte da capa, desenvolvida por Jean Michel (Designations Artwork), é muito bem feita e caprichada, criando certa expectativa pelo som do quarteto formado por Dio MadLock (vocal e guitarras), Rafael Bread (guitarras), John Wolf (baixo) e Arth Castro (bateria). A banda é nova, foi formada em 2010, mas o som praticado aqui é bastante maduro, digno de banda veterana! Os caras escolheram bem a fonte, se inspirando em bandas como Anthrax e Pantera, fazendo aquela mistura entre o Thrash e o Hardcore. As músicas são ótimas, divertidas e empolgantes, um verdadeiro convite para o mosh! A qualidade de produção e gravação também está ótima (créditos para Lau Andrade, que além das funções supracitadas também mixou e masterizou o disco), evidenciando a qualidade técnica dos músicos e extraindo o melhor de cada um – principalmente os sons de baixo e bateria. Destaque para as faixas “The Watcher´s Agony” e “The Morals”, as duas mais porradas do álbum! Mais um ótimo trabalho de uma ótima banda brasileira! A competição entre as bandas está ficando cada vez mais acirrada e quem sai ganhando somos nós, amantes da música pesada! Nota: 8,0


Gravadora: Shinigami Records
Tracklist:
1. Intro
2. Proletarian (Psycho Violence)
3. Discourse Of The Wicked
4. End Of Question
5. Taste The Hate
6. Angels In Hell
7. The Watcher's Agony
8. The Morals
9. Society
10. Cyborg
11. Frenesy
12. Epic Fail
13. Trem Do Inferno (Cretinos E Canalhas Cover) *Bonus Track

Coletânea Hell Divine: Upcoming Hell Vol. 13 - Disponível para download!


Vinte demonstrações explícitas de Heavy Metal

Aproveitando o excelente momento em que são disponibilizados grandes lançamentos, a revista virtual HELL DIVINE, especializada em todos os subgêneros do Heavy Metal, lança a 13º edição da coletânea virtual “Upcoming Hell”, onde são apresentadas vinte bandas dos mais variados cantos do Brasil e inclusive do Paraguai, mostrando a força do Metal sul-americano. A variedade de estilos, do mais puro Speed Metal ao som moderno do Metalcore, garante ao ouvinte uma gama muito grande de opções, destacando a sonoridade variada da banda gaúcha Swords At Hymns. Maicon Ristow, idealizador do projeto que virou banda recentemente, dá o seu parecer:

“Conhecer bandas novas é sempre um prazer. Eu gosto de Metal e quanto mais, e de mais vertentes, melhor. É quase um hobby garimpar bandas novas ou desconhecidas. Sempre tenho algo novo pra ouvir, e isso é demais. Dizer que existem bandas novas ou desconhecidas com o mesmo nível musical de bandas gigantes é chover no molhado. Toda banda grande um dia já foi pequena, e só se torna grande quando há quem acredite nela desde cedo. Hoje não me imagino preso ouvindo somente o que me é oferecido quase como um produto no atacado, como era antigamente, quando se tinha pouco acesso. Hoje eu posso e gosto de escolher o que vou ouvir. Conhecer desde cedo e acompanhar a banda até o fim, ou se tornar grande, seja ela do outro lado do mundo ou do mesmo bairro que moro, sinto como se fizesse parte da história dela, ou seja, um fã.”.

Para fazer o download, acesse:

Track list da “Upcoming Hell – Vol. 13”:

1.      Andragonia - The Challenger
2.      Antcorpus - Na Terra Do Metal
3.      Attractha - Darkness
4.      Buffalo Theory Mtl - Justiceiro
5.      D.A.M. - Tales of the Mad King
6.      Eminence - No Code
7.      Erasy - Livin Hell
8.      Executer - Helliday
9.      Fist Banger - Fighting for Metal
10.    Gulag - The Weight of Mediocrity
11.    Hagbard - Warrior's Legacy
12.    Hammathaz - Conquistador (Feat Vitor Rodrigues)
13.    Hate Embrace - The Father Sun
14.    Incarceration - Forsaken and Forgotten
15.    Kuazar - Puppets of the Devil's Will
16.    Morterix - Caravels of Diseases
17.    Slasher - Hostile
18.    South Legion - La Pampa
19.    Spleenful - Burleske Liebesträum (Cathexis Wicked Serenade)
20.    Swords At Hymns - Where The Wind Does Not Blows In Silence

Ilustração da capa: Ricardo Thomaz

Em paralelo, a 18º edição da revista HELL DIVINE já está disponível, trazendo na capa a banda DARK TRAQUILLITY, um dos grandes nomes do Melodic Death Metal sueco, Niklas Sundin, guitarrista e requisitadíssimo artista gráfico, revelou o motivo dos vários lançamentos em formato de EP e como rolou a inclusão de vocais limpos nas composições, e o que isto acabou influenciando toda uma cena. Também conversamos com as seguintes bandas: SupreMa, Zombie Cookbook, Fanttasma, Omfalos, Forka, Imperious Malevolence, Grog (Portugal), Statik Majik e com o artista gráfico Gustavo Sazes.

Para visualizar na tela, acesse: http://migre.me/iwLqL

Contatos:
Assessoria de Imprensa: contato@wargodspress.com

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 14

Banda: Attic
País: Alemanha
Descrição: Sabe aquele disco viciante, que nos faz colocar o CD no repeat (ou no “repeat” do player do PC…) várias e várias vezes? Pois é, os alemães tiveram a manha de fazer os fãs de King Diamond agradecer ao inferno o concebimento de “The Invocation”, repleto de influências do mestre dinamarquês e melodias que fariam o Iron Maiden voltar a fazer músicas boas. O vocal de Meister Cagliostro pode parecer uma cópia do “Rei Diamante”, mas é notória sua habilidade em transformar isso em pontos a seu favor, injetando uma interpretação digna de respeito e admiração. “The Headless Horseman” é o ponto alto de tal obra, com linhas de guitarra maravilhosas. Ouça no talo!



domingo, 13 de abril de 2014

Rock In Hill: Compareça a esse evento com grandes bandas!


Review: Iced Earth - Plagues Of Babylon


Por Pedro Humangous

O Iced Earth é uma máquina incansável, lançando diversos títulos em sua fértil, porém conturbada, carreira. O grupo já sofreu de altos e baixos, estando sempre em constante transformação, mas insistindo na mesma fórmula de sucesso, alcançada em clássicos como “The Dark Saga” e “Something Wicked This Way Comes”. Acontece que essa mesma fórmula já vem perdendo seu encanto há algum tempo, deixando o som do Iced meio batido, insosso e previsível. O disco passado, “Dystopia”, trazia o ar de novidade com a entrada do novo vocalista, Stu Block, que nada mais é do que a versão atualizada de um emulador do Matt Barlow. “Plagues Of Babylon”, lançado no início desse ano, chega agora ao mercado brasileiro e já encanta à primeira vista devido à maravilhosa arte que ilustra a capa (desenvolvida pelo artista Eliran Kantor, também responsável por trabalhos com as bandas Kreator, Testament, Hatebreed, entre outros). Mas e o conteúdo? Encanta da mesma maneira? Infelizmente nem tanto. Não se trata de um álbum ruim, mas também está longe de se tornar um clássico ou mesmo de figurar na lista dos melhores do ano. As músicas estão mais secas, mais diretas e introspectivas. Outro ponto que podemos notar de cara é o peso das composições, que ganharam uma couraça especial, principalmente as guitarras que estão extremamente agressivas. O baixo e bateria ganharam bastante destaque na mixagem e soam incríveis na gravação. Esse trabalho necessita de várias audições para ser bem assimilado e o resultado final costuma ser satisfatório, as músicas vão te cativando mais e mais a cada nova rodada. Gostei bastante das faixas “Democide”, “Among The Living Dead” (com a participação de Hansi Kursh) e “The End?” (que lembrou muito o Iron Maiden). Destaque para a última faixa, “Highwayman”, bastante diversificada e que contou com a participação de Michael Poulsen (Volbeat) e Russell Allen (Symphony X, Adrenaline Mob). Creio que a reputação do Iced Earth se mantém intacta com esse lançamento, não deram um passo pra frente nem pra trás, permaneceram na zona de conforto. Espero ver um pouco mais de ousadia no próximo trabalho, principalmente por parte de Stu que é um grande vocalista e tem muito mais a oferecer. Se o Jon deixar, claro. Nota: 7,0


Gravadora: Shinigami Records
Lineup:
Jon Schaffer – Guitars / Vocals
Troy Seele – Lead Guitars
Stu Block – Vocals
Luke Appleton – Bass
Raphael Saini - Drums
Tracklist:
1. Plagues Of Babylon
2. Democide
3. The Culling
4. Among the Living Dead
5. Resistance
6. The End?
7. If I Could See You
8. Cthulhu
9. Peacemaker
10. Parasite
11. Spirit of the Times
12. Highwayman

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 13

Banda: Malison Rogue
País: Suécia
Descrição: Interessante quando bandas novas se juntam para compor um som de bandas antigas. Esse é o caso dos suecos do Malison Rogue. O álbum auto-intulado (produzido por Mats Levén, que tocou com Therion e Yngwie Malmsteen) te faz voltar no tempo, com uma sonoridade voltada para o Hard ’n’ Heavy do final dos anos 80 e início dos 90. A gravação é bem atual e as músicas muito bem compostas. Lembra bastante Queensryche e Edguy. Mas cuidado: as músicas grudam no cérebro com facilidade!



sábado, 12 de abril de 2014

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 12

Banda: Ultra-Violence
País: Itália
Descrição: Depois do grande “retorno” do Thrash Metal há mais de dez anos, a fonte parece não ter secado e de todos os cantos aparecem novos maníacos dispostos a falar sobre guerras nucleares, cerveja, zumbis, política e outras atrocidades que acontecem no mundo, sob uma ótica mais divertida, digamos. “Privilege to Overcome” contém treze faixas que empolgam de imediato, sem chances de fugir do mosh. E para garantir o selo de qualidade, Ed Repka, figurinha carimbada do estilo, novamente realizou um grande trabalho, fazendo de “Privilege…” um dos grandes discos de 2013, tornando o Ultra-Violence uma das grandes promessas do Thrash mundial.



sexta-feira, 11 de abril de 2014

Heavy Metal: O desafio dos 30 dias - Day 11

Banda: Litvintroll
País: Bielorússia
Descrição: Folk Metal fortemente influenciado pelo Doom e um pouco de Prog. Cantado em sua língua natal, o som lembra uma mutação entre Paradise Lost, Rammstein e Turisas. Uma das revelações mais interessantes de 2013.